Americas Center

Email
Print Friendly
A A A

2008

Relatório Anual do Centro das Américas 2008: Marcos

Projetos, Produtos e Programas
Iniciativas de Longo Alcance
Serviços Financeiros Internacionais
Uma visão do futuro para 2009

Embora um relatório anual não consiga abranger todas as atividades que tivemos durante o último ano, ele destaca nossos projetos, produtos, programas e iniciativas mais significativas de 2008. Essas conquistas demonstram a cooperação de pessoas dedicadas de toda a nossa organização, muitas vezes em parceria com colegas de várias outras instituições.

Estamos orgulhosos de apresentar o relatório das principais conquistas realizadas ao longo do quarto ano do Centro das Américas. Os destaques de 2008 incluem a realização de conferências, a apresentação de avanços em pesquisas em vários fóruns na região e melhorias em nosso web site.

Americas Center conferences

Projetos, Produtos e Programas

Um novo conselho consultivo do Centro das Américas foi, em junho, constituído para fornecer informações à equipe do banco sobre idéias de programas e planejamento e para ajudar a orientar o desenvolvimento do Centro das Américas a longo prazo. Os seis conselheiros escolhidos pelo comitê de orientação e pela coordenação com base em suas conquistas e experiência nas áreas de interesse do Centro das Américas são: Catalina Amuedo-Dorantes, da San Diego State University; Eduardo Cavallo, do departamento de pesquisa do Banco Interamericano de Desenvolvimento e ex-estagiário do programa de dissertação do Centro das Américas; Kenneth Coates, diretor-geral do Centro de Estudos Monetários Latino-Americanos (CEMLA); Martin Eichenbaum, da Northwestern University; Jeffry Frieden, da Harvard University; e Susan Kaufman Purcell, diretora do Centro de Estudos do Hemisfério da University of Miami.

As Remessas e a Macroeconomia

"Estima-se que os países em desenvolvimento receberam US$240 bilhões em remessas em 2007â?? um aumento de mais de 130% em relação a 2001. Nos países em desenvolvimento, as remessas representam cerca de 2% da receita total e se tornaram uma fonte de renda estrangeira cada vez mais importante, tanto em termos de magnitude, quanto de crescimento.

Dada a importância dessa fonte de capital, o Federal Reserve Bank de Atlanta organizou, em fevereiro, uma conferência de dois dias sobre "Remittances and the Macroeconomy" [As Remessas e a Macroeconomia]. A conferência propiciou um fórum para que os principais pesquisadores apresentassem seus trabalhos, comparassem anotações e formassem redes de relacionamento sobre esse tópico emergente. Os destaques da conferência incluíram o trabalho de co-autoria de Federico Mandelman sobre "Remittances, Exchange Rate Regimes, and the Dutch Disease: A Panel Data Analysis" [Remessas, Regimes Cambiais e 'Dutch Disease': Um Painel de Análise de Dados] e o trabalho de Julie Hotchkiss e Myriam Quispe-Agnoli sobre "The Labor Market Experience and Impact of Undocumented Workers" [A Experiência e o Impacto no Mercado de Trabalho de Trabalhadores sem Registro]. Todos os trabalhos apresentados e as apresentações realizadas na conferência estão disponíveis no web site do Centro das Américas em frbatlanta.org em "Economic Research & Data".

Em outubro, o Centro das Américas realizou, para todos os funcionários interessados, a primeira reunião anual de planejamento de todo o banco. O Presidente do FED de Atlanta, Dennis Lockhart, abriu a reunião compartilhando a sua visão sobre o papel do Centro das Américas no banco. Em uma sessão de livre debate os participantes compartilharam sua visão sobre o centro e discutiram uma série de idéias sobre programação e comunicação.

Nas duas principais conferências foram focados dois assuntos â?? remessas e gestão de patrimônio â??de particular interesse dos integrantes do Centro das Américas na economia atual. (Vide as barras laterais nas páginas 4 e 7.)

O Centro das Américas e o Banco Americano de Desenvolvimento organizaram em conjunto um painel sobre imigração e remessas na reunião anual da Associação de Economia da América Latina e do Caribe â?? LACEA no Rio de Janeiro em novembro. Federico Mandelman apresentou "Remittances, Exchange Rate Regimes, and the Dutch Disease: A Panel Data Analysis" [Remessas, Regimes Cambiais e 'Dutch Disease': Um Painel de Análise de Dados].

O Centro das Américas organizou, em dezembro, evento sobre "Emerging Markets in a Time of Global Uncertainty" [Mercados Emergentes em um Momento de Incerteza Mundial] na Agência de Miami. O café da manhã para a comunidade empresarial local foi realizado em parceria com o Centro de Política do Hemisfério da University of Miami. A diretora do centro da universidade, Susan Kaufman Purcell, foi a moderadora e os palestrantes foram: Emilio Lamar, da Columbus Advisors; Dorothy Sobol, da Johns Hopkins University; e Stephen Kay, coordenador do Centro das Américas, que compartilharam suas perspectivas sobre a atual crise mundial.

O Centro das Américas e a Stetson School of Business and Economics da Mercer University organizaram o Segundo Workshop Georgia International/Development Economics [Economia Internacional/Desenvolvimento Econômico da Geórgia] no FED de Atlanta em dezembro. Os trabalhos apresentados, explorando os desafios econômicos dos países em desenvolvimento, incluíram "Employer Monopsony Power in the Labor Market for Undocumented Workers" [O Poder de Monopsonia do Empregador no Mercado de Trabalho de Trabalhadores sem Registro] da organizadora da conferência, Myriam Quispe-Agnoli e de Julie Hotchkiss e "Monetary Announcements as an Inflation Stabilization Tool in Latin America and the Caribbean" [Antecipação de Informações sobre Política Monetária como Ferramenta de Estabilização da Inflação na América Latina e no Caribe] dos estagiários do departamento de pesquisas do FED de Atlanta, Nicole Baerg e Gustavo Canavire.

O web site do Centro das Américas, que contém pesquisas, publicações, conferências e links, recebeu aproximadamente 30.000 visitas em 2008. Os artigos originais do FED de Atlanta traduzidos para o espanhol e o português foram responsáveis por 18.000 dessas visitas.

O livro Lessons from Pension Reform in the Americas [Lições das Reformas Previdenciárias nas Américas] (Oxford University Press, 2008), co-editado pelo Coordenador do Centro das Américas Stephen Kay no qual estão incluídos trabalhos apresentados na conferência do FED de Atlanta de 2006, tem sido bastante citado e recebeu críticas favoráveis da imprensa. Uma versão resumida do capítulo introdutório do livro foi publicada na Benefits Quarterly. O livro agora integra o acervo de mais de 120 bibliotecas de pesquisa em todo o mundo.

Uma parcela maior de trabalhadores sem registro em determinado setor produz impacto estatístico significativamente negativo sobre os salários dos trabalhadores registrados. No entanto, o impacto, na prática, é pequeno, em vista da quantidade de mão de obra sem registro.
–Julie Hotchkiss and Myriam Quispe-Agnoli
"The Labor Market Experience and Impact of Undocumented Workers"

Stephen Kay fez duas apresentações sobre a reforma previdenciária do Chile: em fevereiro, na Columbia University sobre "Lessons from Chile" [Lições a aprender com o Chile] patrocinada pelo Programa de Métodos Quantitativos em Ciências Sociais e, em novembro, na University of Massachusetts, no Instituto de Gerontologia de Boston.

O trabalho "Undocumented Worker Employment and Firm Survivability" [O Emprego de Trabalhadores Sem Registro e a Sobrevivência da Empresa] de J. David Brown, Julie Hotchkiss e Myriam Quispe-Agnoli investigou a incidência de emprego de trabalhadores sem registro nas empresas e como isso afeta a sobrevivência destas. O estudo concluiu que as empresas adotam essa prática de acompanhar o consenso (herding behavior), tendendo a empregar trabalhadores não registrados se seus concorrentes fazem o mesmo.

Americas Center conferences

Dois trabalhos de uma conferência do FED de Atlanta e do Banco Interamericano de Desenvolvimento, em 2003, sobre reforma estrutural estão sendo republicados na International Political Economy [Economia Política Internacional] (Wadsworth Press, 5ª edição), uma coletânea de artigos científicos atuais direcionada a alunos universitários. Os artigos são "Reform Fatigue: Symptoms, Reasons, and Implications" [Fadiga de Reforma: Sintomas, Motivos e Implicaçõesâ?? de co-autoria da economista do FED de Atlanta Myriam Quispe-Agnoli e "Financial Globalization: Pain and Gain for Developing Countries" [Globalização Financeira: Sofrimentos e Ganhos para os Países em Desenvolvimento de Sergio Schmukler, do Banco Mundial. O livro foi co-editado pelo membro do Conselho Consultivo do Centro das Américas, Jeffry Frieden da Harvard University, que participou da conferência como palestrante.

O trabalho "A Revolution in Consumer Banking: Developments in Consumer Banking in Latin America" [Uma Revolução nos Serviços Bancários ao Consumidor: Melhorias nos Serviços Bancários ao Consumidor na América Latina] de Teresita Obermann, analista sênior de Fiscalização e Regulamentação da Agência do FED de Atlanta em Miami, foi publicado em junho como parte de um volume sobre serviços bancários ao consumidor editado pela Amicus Books, uma marca do ICFAI (Institute of Chartered Financial Analysts of India), University Press. O ICFAI publica revistas, periódicos e livros de referência para estudantes, pesquisadores acadêmicos, estudiosos e executivos corporativos.

O Centro das Américas recebeu o estudante de pós-graduação Andrei Zlate, candidato a Ph.D. pelo Boston College, como seu quarto estagiário anual na área de dissertação. Ele passou oito semanas no banco fazendo pesquisa e consultoria com a equipe do banco e escrevendo sua dissertação sobre "Onshore Production and Business Cycle Dynamics with Heterogeneous Firms" [Dinâmicas da Produção Local e do Ciclo de Negócios com Firmas Heterogêneas].


Iniciativas de Longo Alcance

Em agosto, o banco organizou uma recepção para os participantes do Fórum de Competitividade das Américas, uma reunião internacional patrocinada pelo Departamento de Comércio dos Estados Unidos, pela cidade de Atlanta e pela CIFAL Atlanta. O Secretário de Comércio Carlos Gutierrez esteve presente à recepção, assim como embaixadores, ministros, autoridades do governo e líderes empresariais de todo o hemisfério. O Diretor de Pesquisa do FED de Atlanta, David Altig, recebeu os convidados e falou sobre a estrutura e as funções do FED de Atlanta, e o Gerente Geral do Aeroporto Internacional Hartsfield-Jackson Atlanta, Ben DeCosta falou sobre o papel fundamental do aeroporto na economia da região.

Americas Center conferences

O banco postou seu primeiro podcast em espanhol, "El Impacto de los Trabajadores Indocumentados." Na entrevista, Myriam Quispe-Agnoli, economista do FED de Atlanta, falou sobre sua pesquisa feita em parceria com Julie Hotchkiss sobre o impacto dos trabalhadores sem registro no mercado de trabalho.

A economista do FED de Atlanta, Julie Hotchkiss, deu seu testemunho sobre o impacto econômico dos imigrantes sem registro nos Estados Unidos perante a Comissão de Direitos Humanos Americana, em audiência realizada em abril, transmitida pela C-Span.. Ela apresentou dados de sua pesquisa feita em parceria com Myriam Quispe-Agnoli sobre o impacto econômico dos trabalhadores sem registro na Geórgia.

Integrantes da equipe de Fiscalização e Regulamentação contribuíram com seus conhecimentos especializados e participaram de quinze programas de treinamento de assistência técnica no exterior em Washington, D.C., em vários países da América Latina e do Caribe, no Egito, na China, na Tailândia, no Marrocos, na Turquia e na Austrália. Os programas focaram assuntos como prevenção à lavagem de dinheiro, administração de riscos e controles internos, riscos operacionais, riscos na concessão de créditos e análise bancária.

Como parte da responsabilidade do banco na compreensão do ambiente do país sede das organizações bancárias estrangeiras (FBOs) que atuam na área do Sexto Distrito do Federal Reserve, a equipe de análise de FBO do banco visitou seis países em 2008â??Brasil, Colômbia, Costa Rica, Equador, Peru e Espanha. Durante essas visitas, a equipe do FBO reuniu-se com superintendentes bancários, representantes dos bancos centrais e altos executivos de bancos estrangeiros com agências no Sexto Distrito, e outras autoridades nas áreas bancária e financeira desses países. Essas reuniões, parte integrante do programa de fiscalização de FBO do Federal Reserve System, tornaram-se importantes para estabelecer relações de trabalho mais próximas com os supervisores e os banqueiros da região e para tornar o FED de Atlanta um centro de conhecimento do Federal Reserve System sobre as tendências bancárias na América Latina.

Novos Horizontes: Gestão de Patrimônio e as Mudanças no Cenário Global

Tendo em vista a elevada incerteza econômica mundial, a gestão de ativos tornou-se mais competitiva e arriscada. Ao mesmo tempo em que as instituições financeiras trabalham para conseguir negócios nessa área, elas devem definir se seus procedimentos de gestão de risco e capital humano estão suficientemente desenvolvidos para lidar com um cenário competitivo e plataformas de entrega que mudam rapidamente.

Em outubro, o grupo de estudos sobre política e fiscalização da área de Fiscalização e Regulamentação sediou a conferência do Centro das Américas: "New Horizons: Wealth Management and the Changing Global Landscape" [Novos Horizontes: Gestão de Patrimônio e as Mudanças no Cenário Global]. A conferência consistia de discussões sobre previsões econômicas, mudanças no cenário dos negócios, tecnologias emergentes e serviços bancários privados e escritórios de planejamento familiar (family Office). O palestrante programático, Brad Setser, do Conselho de Relações Exteriores, discutiu a crise nos países emergentes.

Os participantes analisaram a evolução dos serviços de gestão, avaliando como os bancos, as corretoras e os gestores de investimentos adaptaram seus modelos de negócios para acompanhar as mudanças em um cenário tão competitivo. As instituições financeiras internacionais, nacionais e locais estão cada vez mais convergentes na entrega de produtos e serviços.

Os painelistas também discutiram sobre modelos de negócio dinâmicos para gestão de patrimônio, principais inovações tecnológicas, soluções para investimentos emergentes e os desafios da gestão de riscos. Um dos painéis foi focado na maneira como a linha entre os serviços bancários privados tradicionais e o planejamento familiar dos negócios está se tornando cada vez mais tênue, na medida em que tanto os gestores de patrimônio nacionais quanto internacionais estão oferecendo conjuntos de produtos e serviços mais abrangentes e complexos à sua rica e sofisticada clientela. Um outro painel examinou o papel da tecnologia, que tem sido uma das principais propulsoras dos modelos de negócio de gestão de patrimônio, e que nivelou o campo para players de menor porte tais como os departamentos fiduciários de bancos regionais.

A conferência foi encerrada com uma discussão sobre as notáveis iniciativas tecnológicas globais e nacionais que estão acelerando as operações de liquidação e compensação, facilitando o fluxo de investimento e expandindo o acesso ao mercado de capitais.

Em março,os integrantes da equipe de Fiscalização e Supervisão George Holguin e Scott Smith deram o curso Bank Analysis and Examination School (BAES) em Lima, Peru. O BAES aborda a capacitação e o conhecimento necessários a todas as especialidades de fiscalização. Utilizando o método de estudo de casos, o curso reconhece os princípios subjacentes da gestão de riscos e fiscalização integrada e incentiva o desenvolvimento da capacidade de pensamento crítico e analítico. O curso foi patrocinado pela Association of Supervisors of Banks of the Americas e contou com a presença de trinta e sete supervisores bancários representando o Peru, Uruguai, Nicarágua, República Dominicana, Bolívia, Honduras, Panamá e El Salvador.

Em outubro, o Centro das Américas recebeu Giovanna Priale da Superintendência de Bancos, Seguradoras e Previdência Privada do Peru. Ela visitou o FED de Atlanta por uma semana e reuniu-se com funcionários de todo o banco para aprender sobre os programas bancários relacionados a conhecimentos financeiros e transparência nos mercados financeiros e para discutir a participação da superintendência em programas de assuntos da comunidade, incluindo a educação financeira e econômica.

Integrantes do grupo de fiscalização internacional do banco participaram do terceiro United Statesâ??Latin America Private Sector Dialogue on Anti-Money Laundering and Combating the Financing of Terrorism [Prevenção à Lavagem de Dinheiro e Combate ao Terrorismo Financeiro - Diálogo entre o Setor Privado dos Estados Unidos e da América Latina] realizado em São Paulo em setembro. A conferência foi organizada pela Federação Brasileira de Bancos com o apoio do Departamento do Tesouro dos Estados Unidos.

A equipe de assuntos da comunidade do FED de Atlanta falou sobre as iniciativas de educação financeira do Federal Reserve em um fórum organizado pelo Consulado do México em Miami e pelo Instituto de Mexicanos no Exterior, em Miami, em setembro. Os tópicos incluíram a importância da educação financeira como base para construção de riqueza e sustentabilidade da comunidade. A educação e os esforços de longo alcance, tanto nos Estados Unidos, quanto no México destinam-se a ajudar os indivíduos que antes não tinham conta em banco a entrar no sistema bancário convencional, reduzindo sua dependência de serviços financeiros excessivamente caros ou predatórios.

A Agência de Miami do FED de Atlanta organizou, em setembro, um almoço para a Associação dos Banqueiros Cubano-Americanos. Um integrante da equipe de assuntos da comunidade falou para o grupo sobre as condições e as preocupações com os consumidores no tocante ao mercado imobiliário do sul da Flórida e sobre os esforços do Federal Reserve System para educar e informar, aos proprietários de imóveis residenciais que estão enfrentando a possibilidade de execução da hipoteca, sobre possíveis alternativas.

Americas Center conferences

Ao longo do ano, a equipe da Agência de Miami reuniu-se com autoridades dos bancos privados e dos bancos centrais de Aruba, Bahamas, Bolívia, El Salvador e Panamá para discutir questões relacionadas a dinheiro e moeda. Além disso, a equipe de caixa de Miami e de Nova Orleans estiveram presentes à Banknote Conference [Conferência sobre Cédulas] em Washington, D.C., em abril e à Currency Conference [Conferência sobre Moeda] em Praga, Checoslováquia, em outubro.

Durante o ano, a Agência de Miami cuidou do dinheiro americano para mais de trinta países na América Latina e no Caribe. Mais da metade do dinheiro processado pela Agência de Miami é proveniente do exterior.

Em fevereiro, o banco organizou uma recepção e jantar para os 120 participantes da Conferência Internacional do Carter Center sobre o Direito às Informações Públicas. No jantar, o Presidente do FED de Atlanta, Dennis Lockhart, apresentou o Presidente Jimmy Carter que, por sua vez, apresentou o principal palestrante, o Ministro do Tribunal Constitucional da áfrica do Sul Albie Sachs. Sachs falou sobre o processo de democratização e reconciliação na áfrica do Sul. Estavam presentes ministros, juízes, estudiosos, jornalistas e chefes de organizações não-governamentais de trinta e nove países.


Serviços Financeiros Internacionais

A Diretoria de Pagamentos de Varejo (RPO), uma divisão de Serviços Financeiros do Federal Reserve domiciliada no Federal Reserve Bank de Atlanta, promoveu várias iniciativas em 2008 destinadas a incentivar opções de pagamentos internacionais mais eficientes para as instituições financeiras e seus clientes.

A equipe de RPO participou de uma série de reuniões de fundação do International Payments Framework (IPF) ao longo do ano. O IPF é uma iniciativa para desenvolver uma série de regras e formatos operacionais para melhorar a compensação de transferências internacionais não urgentes. Atualmente vinte e três organizações membros representam o Brasil, Canadá, Europa, áfrica do Sul e os Estados Unidos. A equipe de RPO contribuiu com consultoria jurídica e experiência em pagamentos no mapeamento do formato e no desenvolvimento do esquema, ao mesmo tempo em que liderou o desenvolvimento de um manual de regras e atuou no comitê de orientação.

Americas Center conferences

A RPO continua colaborando muito estreitamente com o governo mexicano, incluindo o Banco de México, o Instituto para Mexicanos no Exterior (IME), os consulados do México nos Estados Unidos e com o BANSEFI, o banco mexicano de desenvolvimento, para promover o programa Directo a México como um meio de inclusão financeira de ambos os lados da fronteira. Uma estratégia adotada por esse grupo de colaboradores foi identificar os corredores de imigração entre cidades nos Estados Unidos e no México e, então, ajudar as instituições financeiras americanas e mexicanas dentro desses corredores a realizar eventos orientados aos consumidores, promovendo os serviços financeiros e o Directo a México aos mexicanos que moram nos Estados Unidos. Uma segunda estratégia foca a educação financeira. A equipe de RPO e a de assuntos da comunidade trabalharam com o IME para criar uma campanha de educação financeira que os consulados do México nos Estados Unidos possam usar para promover a educação financeira dos dois lados da fronteira. O IME alavancou o programa Money Smart do da Federal Deposit Insurance Corporation que Ana Cruz-Taura, da Agência de Miami do FED de Atlanta, ensinou durante um workshop em junho sobre educação financeira e remessas na Cidade do México. O workshop destacou o programa Directo a México como o principal programa de remessa que traz os consumidores para o sistema financeiro.

A Agência de Miami organizou o primeiro Fórum Pan-americano de Pagamentos em março. O fórum foi organizado pela NACHA, a Associação de Pagamentos Eletrônicos, com o apoio da RPO. Os quarenta e oito participantes representaram instituições financeiras, bancos centrais e prestadores de serviços/software dos Estados Unidos e de nove países da América Latina. Os painéis focaram questões do sistema de pagamentos no Brasil, Costa Rica e Europa e nos pagamentos internacionais. O Professor Ambler Moss da University of Miami e ex-embaixador dos Estados Unidos no Panamá fez o discurso programático. Os participantes estavam interessados principalmente em aprender como o modelo do Directo a México â?? o programa de transferência de recursos desenvolvido e operado pelo Banco de México e pelo Federal Reserve â?? pode ser recriado, copiado em outros países. Devido ao alto nível de interesse, a NACHA está desenvolvendo uma proposta para incorporar esse tipo de evento às atividades regulares de seu Fórum Global de Pagamentos.

O Chile tem sido o modelo global para a realização de reformas na saúde e previdência baseadas no mercado, tornando suas recentes "re-reformas" ainda mais notáveis, na medida em que refletem um papel mais assertivo dado ao setor público.
â??Christina Ewig e Stephen J. Kay
Public and Private Social Policy: Health and Pension Policies in a New Era
[Política Social Pública e Privada: as Políticas de Saúde e Previdência em uma Nova Era]

Em novembro, o FED de Atlanta sediou a conferência e o workshop do Instituto de Pagamentos Internacionais da NACHA pelo quarto ano consecutivo. A equipe da RPO fez apresentações sobre o formato nacional de pagamentos internacionais e as mudanças que ocorrerão nas regras no quarto trimestre de 2009.

Em junho, Elizabeth McQuerry compartilhou as perspectivas sobre o programa Directo a México com os participantes do congresso anual do CIAB (Congresso Internacional de Automação Bancária) organizado pela Federação Brasileira de Bancos em São Paulo. Em setembro ela acompanhou Ricardo Medina e Eduardo Gómez Alcázar do Banco de México na apresentação da parceria de pagamentos como um modelo potencial para colaborações futuras entre os países da América Latina na conferência "Semana de Pagos" patrocinada pela CEMLA e pelo Banco Mundial em Viena, áustria.

A equipe da RPO fez apresentações sobre tópicos relacionados às câmaras de compensação automatizadas (ACH) internacionais em vários eventos, incluindo um painel com a Associação Canadense de Pagamentos focada nos pagamentos feitos ao Canadá na conferência sobre Pagamentos da NACHA de 2008 em Las Vegas, em maio. Em outubro, elas apresentaram seu trabalho em um painel com o the Bank of Nova Scotia, Comerica e a Quality Metalcraft Inc. na reunião anual da Associação de Profissionais de Finanças em Los Angeles.

Americas Center conferences

Uma visão do futuro para 2009

Conforme a economia do Sexto Distrito do Federal Reserve continua a estabelecer laços mais fortes com a América Latina e o Caribe, as relações do Federal Reserve Bank de Atlanta na região também estão se expandindo. Olhando para o futuro, o objetivo do Centro das Américas será continuar a apoiar o aprimoramento da qualidade da fiscalização bancária na região, a produzir pesquisas sobre acontecimentos econômicos e financeiros, a oferecer fóruns para tratar de assuntos financeiros e econômicos que afetam as populações de imigrantes e a apoiar a evolução dos sistemas de pagamentos na região.

Conteúdo :: Próxima Página


  • Projects
  • Outreach
  • International Financial Services
  • Looking Ahead

Projects

A new Americas Center advisory council was formed in June to provide input to bank staff on program and planning ideas and to help guide the Americas Center's development over time. The six advisers, selected by the steering committee and liaisons based on their accomplishments and expertise in areas of interest to the Americas Center, are Catalina Amuedo-Dorantes, San Diego State University; Eduardo Cavallo, the Inter-American Development Bank research department and a former Americas Center dissertation intern; Kenneth Coates, director-general of the Centre for Latin American Monetary Studies (CEMLA); Martin Eichenbaum, Northwestern University; Jeffry Frieden, Harvard University; and Susan Kaufman Purcell, director of the Center for Hemispheric Studies at the University of Miami.

Remittances and the Macroeconomy

"Developing countries received an estimated at $240 billion in remittances in 2007—an increase of more than 130 percent since 2001. In developing countries, remittances make up about 2 percent of total income and have become increasingly important as a source of foreign income in terms of both magnitude and growth.

Given the importance of this source of capital, the Federal Reserve Bank of Atlanta hosted the two-day conference "Remittances and the Macroeconomy" in February. The conference provided a forum for leading researchers to present their work, compare notes, and network on this emerging topic. Highlights from the conference included Federico Mandelman's coauthored paper "Remittances, Exchange Rate Regimes, and the Dutch Disease: A Panel Data Analysis" and Julie Hotchkiss and Myriam Quispe-Agnoli's paper "The Labor Market Experience and Impact of Undocumented Workers." All of the conference papers and presentations are now available on the Americas Center Web page at frbatlanta.org under "Economic Research & Data."



In October the Americas Center held its first annual bankwide planning meeting for all interested staff. Atlanta Fed President Dennis Lockhart opened the meeting by sharing his views on the America Center's role at the bank. In a brainstorming session, participants shared their vision for the center and discussed a range of programming and communication ideas.

Two key conferences focused on two issues—remittances and wealth management—of particular interest to Americas Center constituents in the current economy. (See the sidebars on pages 4 and 7.)

The Americas Center and the Inter-American Development Bank cohosted a panel on immigration and remittances at the Latin American and Caribbean Economics Association annual meeting in Rio de Janeiro in November. Federico Mandelman presented "Remittances, Exchange Rate Regimes, and the Dutch Disease: A Panel Data Analysis."

The Americas Center hosted "Emerging Markets in a Time of Global Uncertainty" at the Miami Branch in December. The breakfast event for the local business community was cosponsored with the University of Miami's Center for Hemispheric Policy. The university center's director, Susan Kaufman Purcell, was the moderator, and the featured speakers were Emilio Lamar, Columbus Advisors; Dorothy Sobol, Johns Hopkins University; and Stephen Kay, Americas Center coordinator, who shared their perspectives on the current global crisis.

The Americas Center and the Stetson School of Business and Economics at Mercer University hosted the Second Georgia International/Development Economics Workshop at the Atlanta Fed in December. The papers presented, exploring the economic challenges of developing countries, included "Employer Monopsony Power in the Labor Market for Undocumented Workers," by conference organizer Myriam Quispe-Agnoli and Julie Hotchkiss, and "Monetary Announcements as an Inflation Stabilization Tool in Latin America and the Caribbean," by Atlanta Fed research department interns Nicole Baerg and Gustavo Canavire.

The Americas Center Web site, featuring research, publications, conferences, and resource links, received nearly 30,000 page views in 2008. Original Atlanta Fed articles translated into Spanish and Portuguese accounted for 18,000 of those page views.

The book Lessons from Pension Reform in the Americas (Oxford University Press, 2008), coedited by Americas Center Coordinator Stephen Kay and including papers presented at a 2006 Atlanta Fed conference, has been widely cited and has received favorable press coverage. An abridged version of the book's introductory chapter was published in Benefits Quarterly. The book is now in the collections of more than 120 research libraries worldwide.

A greater share of undocumented workers in an industry has a statistically significant negative impact on the wages of documented workers. The practical impact, however, is small, given the size of the undocumented workforce.

—Julie Hotchkiss and Myriam Quispe-Agnoli
"The Labor Market Experience and Impact of Undocumented Workers"

Stephen Kay made presentations on Chile's pension reform at a Columbia University conference in February on "Lessons from Chile," sponsored by Columbia's Quantitative Methods in the Social Sciences Program, and at the University of Massachusetts at Boston's Gerontology Institute in November.

The working paper "Undocumented Worker Employment and Firm Survivability," by J. David Brown, Julie Hotchkiss, and Myriam Quispe-Agnoli, investigated the incidence of undocumented worker employment across firms and how it affects firm survival. The study concluded that firms are found to engage in herding behavior, being more likely to employ undocumented workers if competitors do.

Americas Center conferences

Two papers from an Atlanta Fed–Inter-American Development Bank conference in 2003 on structural reform are being republished in International Political Economy (Wadsworth Press, 5th edition), a collection of topical scholarly articles geared toward college students. The articles are "Reform Fatigue: Symptoms, Reasons, and Implications," coauthored by Atlanta Fed economist Myriam Quispe-Agnoli, and "Financial Globalization: Pain and Gain for Developing Countries," by Sergio Schmukler of the World Bank. The book is coedited by Americas Center Advisory Council member Jeffry Frieden of Harvard University, who participated as a panelist at the conference.

The paper "A Revolution in Consumer Banking: Developments in Consumer Banking in Latin America," by Teresita Obermann, a senior Supervision and Regulation analyst at the Atlanta Fed's Miami Branch, was published in June as part of an edited volume on consumer banking by Amicus Books, an imprint of ICFAI (Institute of Chartered Financial Analysts of India) University Press. ICFAI publishes magazines, journals, and reference books for students, research scholars, academicians, and corporate executives.

The Americas Center hosted Andrei Zlate, a Ph.D. candidate from Boston College, as its fourth annual graduate student dissertation intern. He spent eight weeks at the bank doing research, consulting with bank staff, and working on his dissertation, "Onshore Production and Business Cycle Dynamics with Heterogeneous Firms."

Outreach

In August the bank hosted a reception for the participants in the Americas Competitiveness Forum, an international meeting sponsored by the U.S. Department of Commerce, the City of Atlanta, and CIFAL Atlanta. Commerce Secretary Carlos Gutierrez attended the reception, as did ambassadors, ministers, government officials, and business leaders from throughout the hemisphere. Atlanta Fed Research Director David Altig welcomed the guests and spoke about the structure and functions of the Atlanta Fed, and Hartsfield-Jackson Atlanta International Airport General Manager Ben DeCosta spoke about the airport's key role in the region's economy.

Americas Center conferences

The bank posted its first Spanish-language podcast, "El Impacto de los Trabajadores Indocumentados." In the interview, Myriam Quispe-Agnoli, an Atlanta Fed economist, spoke about her research with Julie Hotchkiss on undocumented workers' impact on the labor market.

Atlanta Fed Economist Julie Hotchkiss testified before the U.S. Human Rights Commission in an April hearing, broadcast on C-Span, on the economic impact of undocumented immigrants in the United States. She presented data from her research with Myriam Quispe-Agnoli on the economic impact of undocumented workers in Georgia.

Supervision and Regulation staff members contributed expertise and participated in fifteen foreign technical assistance training programs in Washington, D.C., several Latin American and Caribbean countries, and Egypt, China, Thailand, Morocco, Turkey, and Australia. The programs focused on topics such as anti-money laundering, risk management and internal controls, operations risk, credit risk, and bank analysis.

As a part of the bank's responsibility to understand the home country environments in which foreign banking organizations (FBOs) in the Sixth Federal Reserve District operate, the bank's FBO analysis team visited six countries in 2008—Brazil, Colombia, Costa Rica, Ecuador, Peru, and Spain. During these visits, FBO team staff met with banking superintendents, central bank representatives, senior management of foreign banks with a presence in the Sixth District, and other officials in the fields of banking and finance in these countries. These meetings, an integral part of the Federal Reserve System's FBO supervision program, have become important in building closer working relationships with supervisors and bankers in the region and in making the Atlanta Fed a knowledge center for the Reserve System on Latin American banking trends.

New Horizons: Wealth Management and the Changing Global Landscape

In light of heightened global economic uncertainty, asset management has become more competitive and risky. As financial institutions work to gain business in this arena, they must determine whether their risk management procedures and human capital are sufficiently advanced to handle the rapidly changing competitive landscape and delivery platforms.

In October the Supervision and Regulation policy and supervisory studies group hosted the Americas Center conference "New Horizons: Wealth Management and the Changing Global Landscape." The conference featured panels on the economic outlook, the changing business landscape, emerging technologies, and private banking and the family office. Keynote speaker Brad Setser, of the Council on Foreign Relations, discussed the crisis in emerging markets.

Participants examined the evolution of wealth management services, assessing how banks, brokerage houses, and boutique investment managers have adapted their business models to keep pace with the changing competitive landscape. Financial organizations globally, regionally, and locally are increasingly converging in delivering products and services.

Panelists also discussed dynamic wealth management business models, key technology innovations, emerging investment solutions, and the challenges to managing risk. One panel focused on how the lines between the traditional private-banking and family-office lines of business are becoming increasingly blurred as both international and domestic wealth managers are offering larger and more complex suites of products and services to their sophisticated and affluent clientele. Another panel examined the role of technology, which has been a major driver in wealth management business models and has leveled the playing field for smaller players such as community bank trust departments.

The conference concluded with a discussion of noteworthy global and domestic technology initiatives that are accelerating clearing and settlement operations, facilitating the flow of investments and expanding access to capital markets.

Supervision and Regulation staff members George Holguin and Scott Smith taught a Bank Analysis and Examination School (BAES) in Lima, Peru, in March. BAES addresses the skills and knowledge needed by all examination specialties. Using the case study approach, the course recognizes the underlying principles of risk management and integrated supervision and encourages development of analytical and critical thinking skills. The school was sponsored by the Association of Supervisors of Banks of the Americas and was attended by thirty-seven bank examiners representing Peru, Uruguay, Nicaragua, the Dominican Republic, Bolivia, Honduras, Panama, and El Salvador.

In October the Americas Center hosted Giovanna Priale from Peru's Superintendency of Banking, Insurance, and Private Pension Firms. She visited the Atlanta Fed for a week, meeting with employees throughout the bank to learn about bank programs related to financial literacy and transparency in financial markets and discuss the superintendency's interest in community affairs programs, including financial and economic education.

Members of the bank's international supervision group participated in the third United States–Latin America Private Sector Dialogue on Anti-Money Laundering and Combating the Financing of Terrorism in São Paulo in September. The conference was organized by the Brazilian Federation of Banks, with support from the U.S. Department of the Treasury.

Atlanta Fed community affairs staff spoke about Federal Reserve financial education initiatives at a forum hosted by the Mexican consulate in Miami and the Institute for Mexicans Abroad in Miami in September. Topics included the importance of financial education as a base for wealth building and community sustainability. Education and outreach efforts in both the United States and Mexico are aimed at helping previously unbanked individuals to enter the mainstream banking system, reducing their dependence on overpriced or predatory financial services.

The Atlanta Fed's Miami Branch hosted a luncheon for the Cuban American Bankers Association in September. A community affairs staff member spoke to the group about conditions and consumer concerns affecting the real estate market in south Florida and about Federal Reserve System efforts to educate and inform homeowners facing the possibility of foreclosure about alternatives.

Americas Center conferences

Throughout the year, Miami Branch staff met with officials from private banks and the central banks of Aruba, the Bahamas, Bolivia, El Salvador, and Panama to discuss currency- and coin-related issues. Additionally, Miami and New Orleans cash staff attended the Banknote Conference in Washington, D.C., in April and the Currency Conference in Prague, Czechoslovakia, in October.

During the year the Miami Branch handled U.S. currency for more than thirty countries in Latin America and the Caribbean. Over half of the currency processed by the Miami Branch comes from outside the United States.

In February the bank hosted a reception and dinner for the 120 participants of the Carter Center's International Conference on the Right to Public Information. At the dinner Atlanta Fed President Dennis Lockhart introduced President Jimmy Carter, who then introduced the keynote speaker, South African Constitutional Court Justice Albie Sachs. Sachs spoke about the process of democratization and reconciliation in South Africa. In attendance were ministers, judges, scholars, journalists, and heads of nongovernmental organizations from thirty-nine countries.

International Financial Services

The Retail Payments Office (RPO), a division of Federal Reserve Financial Services housed at the Federal Reserve Bank of Atlanta, carried out several initiatives in 2008 designed to promote more efficient cross-border payment options for financial institutions and their customers.

RPO staff participated in a series of foundational meetings of the International Payments Framework (IPF) throughout the year. The IPF is an initiative to develop a set of operating rules and formats to improve the exchange of nonurgent cross-border transfers. Currently the twenty-three member organizations represent Brazil, Canada, Europe, South Africa, and the United States. RPO personnel have contributed legal counsel and payments expertise on format mapping and scheme development while also leading the development of the rulebook and serving on the steering committee.

Americas Center conferences

The RPO continues to collaborate closely with the Mexican government, including Banco de México, the Institute for Mexicans Abroad (IME), Mexican consulates in the United States, and BANSEFI, a Mexican government development bank, to promote Directo a México as a means to financial inclusion on both sides of the border. One strategy this collaborative group adopted was to identify immigrant corridors between cities in the United States and Mexico and then help U.S. and Mexican financial institutions within these corridors host consumer-oriented events promoting financial services and Directo a México to Mexicans living in the United States. A second strategy focused on financial education. The RPO and community affairs staff worked with the IME to develop a financial education campaign that Mexican consulates in the United States can use to promote financial education on both sides of the border. The IME leveraged the Federal Deposit Insurance Corporation's Money Smart program, which Ana Cruz-Taura, of the Atlanta Fed's Miami Branch, taught during a June workshop on financial education and remittances in Mexico City. The workshop highlighted Directo a México as a key remittance program that brings consumers into the financial system.

The Miami Branch hosted the first-ever Pan American Payments Forum in March. The forum was organized by NACHA, the Electronics Payments Association, with support from the RPO. The forty-eight participants represented financial institutions, central banks, and service/software providers from the United States and nine Latin American countries. Panels focused on payments system issues in Brazil, Costa Rica, and Europe and on cross-border payments. University of Miami Professor Ambler Moss, a former U.S. ambassador to Panama, delivered the keynote address. Participants were especially interested in learning about how the Directo a México model—the funds transfer program developed and operated by the Banco de México and the Federal Reserve—can be replicated in other countries. Given the high level of interest, NACHA is developing a proposal to incorporate this type of event into the regular activities of its Global Payments Forum.

Chile has been a global model for introducing market-based health care and pension reforms, making its recent "re-reforms" all the more striking in that they reflect a more assertive role for the public sector.

—Christina Ewig and Stephen J. Kay
Public and Private Social Policy:
Health and Pension Policies in a New Era

In November the Atlanta Fed hosted NACHA's Institute of International Payments conference and workshop for the fourth consecutive year. RPO staff made presentations on the national cross-border payment format and rule changes that will take place in the fourth quarter of 2009.

In June, Elizabeth McQuerry shared perspectives on the Directo a México program with attendees at the Brazilian Banking Federation's annual CIAB (Congresso Internacional de Automaçâo Bancária) conference in São Paulo. In September she joined Ricardo Medina and Eduardo Gómez Alcázar from the Banco de México in presenting the payments partnership as a potential model for future collaborations among Latin American countries at the "Semana de Pagos" conference sponsored by CEMLA and the World Bank in Vienna, Austria.

RPO staff made presentations on topics related to the cross-border automated clearinghouse (ACH) at several events, including a panel with the Canadian Payments Association focusing on payments with Canada at NACHA's Payments 2008 conference in Las Vegas in May. In October they presented their work on a panel with the Bank of Nova Scotia, Comerica, and Quality Metalcraft Inc. at the annual meeting of the Association for Financial Professionals in Los Angeles.

Americas Center conferences

Looking Ahead

As the economy of the Sixth Federal Reserve District continues to form closer ties with Latin America and the Caribbean, the Federal Reserve Bank of Atlanta's relationships in the region are expanding as well. Looking forward, the Americas Center's aim will be to continue to support enhancing the quality of bank supervision in the region, produce research on economic and financial developments, provide forums to address financial and economic issues that affect immigrant populations, and support evolving payment systems in the region.